O Município, 25-12-1938

Anotações Diversas
O decreto n.º 9775, de 30 de novembro de 1938, assinado pelo senhor Ademar de Barros (Interventor Federal no Estado) que fixou o nome de município de Americana para vigorar a partir de 1939. O nome do território municipal entre 1925-1938 era município de Vila Americana.

FIXADA NOVA DEMARCARÇÃO DE TERRAS ATRAVÉS DO DECRETO Nº 9775

COM LIMEIRA
Começam na confluência do Ribeirão do Pinhal, no Rio Jaguari, sobem por este até a barra do córrego Jacutinga, pelo qual sobem até a cabeceira do galho da esquerda, ganho o espigão mestre Atibaia/Jaguari, pelo qual caminha até alcançar o contra forte da margem esquerda do córrego da Balsa, indo até a barra deste no Rio Atibaia, continuam pelo espigão da margem esquerda do córrego da Fazenda Foguete, indo até a cabeceira do Ribeirão dos Lopes, descem por este até a Barra do córrego da Discórdia e vão, em reta à barra do lombo, sobe por aquele até a sua cabeceira mais ocidental, prosseguindo depois, pelo espigão que separa as águas do Ribeirão dos Toledos, à esquerda, até alcançar a cabeceira do córrego Guilherme Green.

COM STA. BARBARA
Começa no alto do espigão que separa as águas do Ribeirão dos Toledos, à esquerda, e as águas do córrego Recanto, à direita, rente a cabeceira mais setentrional do córrego Guilherme Green, segue pelo espigão fronteiro até a lagoa do Roberto, atravessou na à procura do seu ponto mais setentrional e não daqui em nesta ao marco do quilometro 083 da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, no seu ramal de Piracicaba, dirigem-se deste ponto, ainda em reta, a nascente do córrego da Villa Americana que vai desaguar no Ribeirão Quilombo, dentro da cidade de Americana, procuram daí o espigão divisor de águas, que deixa à direita, o Ribeirão Quilombo e, à esquerda o Ribeirão dos Toledos e pelo espigão continuaram até encontrar a cachoeira mais ocidental do córrego Suzegan, pelo qual descem até o rio Piracicaba, tivera inicio estas divisas.