Ir para conteúdo [1]        Mapa do Site [2]       + -      
Campanha "Somos Todos Primatas"

O Parque Ecológico de Americana "Eng. Cid Almeida Franco", em colaboração com a AZAB – Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil, e a SBP – Sociedade Brasileira de Primatologia, realiza até dezembro de 2021 a Campanha "SOMOS TODOS PRIMATAS", com as três espécies que são mantidos no Zoológico de Americana e que fazem parte desta ação.


O principal objetivo desta campanha é ampliar o conhecimento sobre os primatas não-humanos brasileiros, principalmente os ameaçados de extinção.

Quem conhece, preserva!

O ambiente natural onde os primatas brasileiros vivem são as florestas úmidas. As diferentes espécies podem ser encontradas em diferentes biomas. Muitas espécies brasileiras, são chamadas endêmicas, ou seja, só aparecem em nosso país. O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade do mundo. O Mico-leão-da-Cara-Dourada é endêmico da Mata Atlântica, região sul da Bahia. Já o Sauim-de-Coleira e o Macaco-Aranha-de-Testa-Branca, conhecido também como Coatá, são endêmicos da Amazônia. Na Floresta Amazônica, o Sauim-de-Coleira, inclusive, é muito avistado nas proximidades da cidade de Manaus, sendo até chamado de Sauim-de-Manaus. Eles vivem em bandos de dois a treze indivíduos, sendo que os grupos sofrem risco de atropelamento, uma vez que a floresta perto da cidade está bastante descontinuada.


Os primatas são mamíferos predominantemente frugívoros, o que quer dizer que se alimentam de frutas. Porém, algumas espécies comem também pequenos insetos, ovos e gomas das árvores, hábito muito comum para os Micos-Leões. Por ingerir muitos frutos, os primatas desempenham um grande papel como dispersores de sementes nas florestas, já que suas fezes carregam sementes pré-digeridas ou até intactas, facilitando a germinação de novas árvores. São conhecidos também pelo som que emitem, que chamamos de vocalização. É uma maneira de se comunicarem entre si, avisando o grupo sobre predadores ou presença de alimento. Para dormir, os pequenos primatas procuram ocos de árvores. Já os primatas maiores abrigam-se nos galhos mais altos, mostrando desta forma sua total dependência pela floresta.


Saguinus bicolor é o nome científico do Sauim-de-Coleira, que mostra o seu padrão de cor da pelagem – duas cores. Já o Macaco-Aranha-de-Testa-Branca (Ateles marginatus), tem cor predominantemente preta, uma mancha branca na testa, e tem cauda preênsil que o ajuda a se segurar nos galhos e capturar alimento. O Mico-Leão-de-Cara-Dourada (Leontopithecus crhysomelas) é de pelagem preta com machas douradas no rosto, nas patas e na cauda.


Atualmente, as principais ameaças aos primatas brasileiros são a caça e o comércio ilegais, além do desmatamento, ou seja, a destruição das matas está contribuindo fortemente para o desaparecimento de muitas espécies.

Vídeo
Fotos
E-mail de contato do parque